11 documentários para refletir sobre a saúde feminina

 

Todo mundo sabe que saúde é assunto sério, mas nem só de consultas e medos vive a preocupação com o nosso corpo! Nessa primeira edição da Casa de Labrys, listamos alguns documentários que falam sobre temas ligados à saúde feminina. De prazer sexual a complicações cerebrais, nossa lista abre caminho para a reflexão sobre a saúde das mulheres.

1. My Beautiful Broken Brain (2014)

O documentário produzido pela Netflix mostra uma viagem pelo cérebro da jovem inglesa Lotje Sodderland, que em 2011 sofreu um acidente vascular cerebral. A produção trata das mudanças sensoriais sofridas pela jovem e sua busca por compreender seu “novo cérebro”.

 

2. Anorexia (2015)

“Anorexia” aborda os transtornos alimentares sob a perspectiva de duas jovens que sofreram com anorexia e bulimia. Apesar da produção simples, o documentário chama a atenção para a gravidade dos transtornos e aponta a responsabilidade dos padrões de beleza no sofrimento de milhares de jovens.

 

 

3. The Moon Inside You (2010)

Dirigido por Diana Fabiánová, o documentário traz a menstruação como tema e cria uma viagem às raízes da feminilidade e da vida. Infelizmente só o encontramos com legendas em espanhol.

 

 

4. Meninas (2006)

Esta produção de Sandra Werneck acompanha a vida de três adolescentes por quase um ano, analisando a situação de uma gravidez precoce. A crítica sobre a pouca idade, a falta de assistência e a mudança de perspectivas estimulam a reflexão sobre uma gestação antecipada e não planejada.

 

 

5. Mudança de Sexo (2013)

Elaborado para o programa Tabu Brasil, “Mudança de Sexo” traz a discussão sobre gênero, identidade, preconceito e imposições sociais. Com depoimento de mulheres e homens transexuais, o documentário levanta a importância da discussão de gênero.

 

 

6. Clandestinas – 28 dias para a vida das mulheres (2014)

Este documentário apresenta sem tabus a realidade do aborto no Brasil. Atrizes interpretam relatos reais de mulheres que abortaram e questionam a criminalização do aborto, pontuando como mulheres são penalizadas pela lei e pelo moralismo.

 

 

7. As Mulheres e a Sexualidade – Os Tabus em Torno do Prazer Feminino (2015)

Feito para um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) em Jornalismo na USP, o documentário aborda de maneira leve e divertida a sexualidade feminina e faz recortes importantíssimos, como orientação sexual, raça e peso, o que torna o documentário inclusivo e ainda mais informativo.

 

8. Clitóris: O prazer proibido (2004)

O produto francês trata com naturalidade o que é o clitóris e faz uma análise científica e social do órgão feminino, explicando porque ele foi deixado de lado pela medicina no passado e o que ele representa para a sexualidade feminina.

 

 

9. Parto Humanizado (2013)

Esta produção aborda a importância de um parto com assistência humanizada. Por meio de relatos de mães, doulas e obstetras, “Parto Humanizado” enfatiza o nascimento com mínima intervenção médica e máximo protagonismo da mulher.

 

 

10. A Dor Além do Parto (2013)

Em tom de denúncia, “A Dor Além do Parto” apresenta dados alarmantes sobre a violência obstétrica no Brasil e menciona leis a favor das mães e alternativas à situação do parto no país. E cuidado: contém cenas fortes de sangramento e intervenções médicas.

 

 

11. Mulheres de Peito (2012)

Inspirado no livro “Força na Peruca – Tragédias e Comédias de um Câncer”, escrito por Mirela Janotti, o documentário aborda de forma sensível o câncer de mama. Com relatos de mulheres que passaram pela situação, familiares e profissionais que ajudam no processo de superação, a produção é emocionante e positiva.

 

 

Helena Botelho